PiLab

DaaS (Desktop as a Service) é uma solução computacional onde a área de trabalho do usuário, e suas respectivas aplicações, encontram-se virtualizadas em um servidor na Nuvem, e o acesso é possível a partir de diversos dispositivos que possuam acesso à Internet ou rede local (computador convencional, smartphone, tablet, thin clients etc.).

O PiLab é um projeto que visa possibilitar a implementação de uma solução DaaS a um custo bem reduzido em comparação com serviços já consolidados no mercado, como o Terminal, pois foi completamente desenvolvida com uso de software livre. Este tutorial irá ensinar como colocar em funcionamento a plataforma PiLab, e para isso, há alguns requisitos:

  • Ter uma máquina com o sistema Ubuntu 64bits instalado (No laboratório, foi utilizada a versão 12.04 LTS);
  • Verificar se o processador suporta a virtualização do KVM (procedimento detalhado a seguir);
  • Ter duas placas de rede instaladas na máquina.

Verificar se a máquina suporta virtualização

Processadores da Intel e AMD que apresentam as funcionalidades Intel Vt-x e AMD-V indicam que dão suporte à virtualização de hardware, requisito para o funcionamento do KVM. Com acesso ao terminal do Ubuntu, digite o seguinte comando:

$ egrep -c '(vmx|svm)' /proc/cpuinfo

Os resultados desse comando podem ser:

  • 0 – Não suporta virtualização;
  • 1 ou mais – Suporta virtualização, mas é preciso verificar se a funcionalidade está habilitada na BIOS.

Alternativamente, pode-se executar o comando:

$ kvm-ok

Caso responda:

$ INFO: /dev/kvm exists
KVM acceleration can be used

Indica que tem suporte à virtualização.

Mas se responder:

$ INFO: Your CPU does not support KVM extensions KVM acceleration can NOT be used.

Ainda poderá utilizar virtualização, porém com desempenho menos eficiente.

Download do PiLab

Confirmando que sua máquina tem suporte à virtualização de hardware, o próximo passo é fazer o download do servidor PiLab. São dois arquivos, o RC.qcow2 e pilab.xml.

Download Servidor PiLab

Configuração da máquina

Após fazer o download do servidor, é preciso instalar alguns pacotes para a utilização do KVM:

$ sudo apt-get install qemu-kvm libvirt-bin bridge-utils virt-viewer

É necessário adicionar o usuário ao grupo libvirtd:

$ sudo adduser $USER libvirtd

É preciso criar bridges para as placas de rede, e para isso, deve-se editar o  arquivo /etc/network/interfaces. Segue abaixo como deve ficar o conteúdo do arquivo:

auto lo
iface lo inet loopback

auto eth0
iface eth0 inet manual

auto br0
iface br0 inet manual
bridge_ports eth0

auto br1
iface br1 inet dhcp
bridge_ports eth1

auto eth1
iface eth1 inet manual

Agora, é necessário editar o arquivo pilab.xml. Dentro do arquivo, encontre o campo a seguir:

$ source file='/home/user/RC.qcow2' 

É preciso trocar o conteúdo do parâmetro file, colocando o endereço completo do arquivo RC.qcow2 na sua máquina.

Para criar uma VM a partir do arquivo XML (considerando o arquivo XML no diretório /home/$USER/):

$ sudo virsh create /home/$USER/pilab.xml

Substitua o “$USER” pelo nome do seu usuário.

Com tudo isso feito, execute o seguinte comando para listar as VMs criadas:

$ sudo virsh list --all

Os comandos para inicializar a VM do servidor e ativar sua interface gráfica, respectivamente, são:

$ sudo virsh start RC
$ sudo virt-viewer RC